Think Tank Tuga

Sunday, January 16, 2005

O comboio da Europa

Jorge Sampaio terminou a sua visita oficial à China com uma viagem no comboio mais rápido do mundo, o Shanghai Transrapid, que faz em oito minutos os 30 km que separam o centro da cidade do aeroporto, a uma velocidade de ponta, pasme-se, de 430 km/h. Demorou 22 meses a construir, pelos Alemães da Siemens. Por cá, andamos nós há anos a modernizar uma raquítica linha do Norte, que ainda demora 2h51 min a chegar ao Porto, e que mesmo quando estiver toda modernizada, não vai permitir viagens de duração inferior a duas horas no "modesto" Pendular. E depois o Governo está tão obcecado com o TGV que ainda não percebeu que já há tecnologias mais avançadas com esta que existe no comboio Chinês, a levitação magnética (o comboio não toca nos carris). Ou seja, quando finalmente tivermos o TGV nos carris, daqui a muuuuuuuioto tempo, já esse comboio estará antiquado, e prevê-se que até a Europa Central e de Leste venha a dispor destes comboios ultra-rápidos (podem atingir 500 km/h) daqui a uns anos.
Por isso, nós não só andamos a fazer as apostas estratégicas erradas, como não andamos a apostar nos meios de transporte mais competitivos para o nosso país. O que o nosso país precisava era de boas ligações low-cost aéreas para a Europa. Já temos alguma coisa, é verdade, mas ficamos muito aquém da oferta que existe em Espanha ou mesmo na República Checa. Já nem falo de Inglaterra ou da Alemanha. E para isso precisávamos de melhores aeroportos (o de Lisboa já não está preparado para enfrentar os volumes actuais de tráfego aéreo, é um pequeno aeroporto que servia há 15-20 anos atrás, mas que hoje em dia já não).
e de melhores incentivos. Mas isso já é outra história. Claro que as ligações ferroviárias são importantes, mas nem será um TGV que nos tirará o estatuto periférico. Quanto muito, comboios rápidos fazem sentido numa lógica Ibérica, mas nem será um comboio de levitação magnética que nos vai aproximar da Europa.
Sampaio avisou, caso Portugal não ponha mãos ao trabalho: "Ficamos para trás à velocidade deste comboio." Não se trata de uma questão de comboios, mas de todo o planeamento e desenvolvimento de uma nação que gostava de apanhar o comboio da Europa!










1 Comments:

  • Antes de mais as minhas saudações por finalmente haver alguém com as mesmas preocupações relativamente às opções estratégicas dos nossos políticos em termos do território nacional e seu planeamento. Aproveito por isso esta oportunidade para lhe mandar o link de um blog que criei na esperança de conseguir iniciar uma discussão sobre este tema e de mostrar as possíveis vantagens em investir nesta nova tecnologia. Com os melhores cumprimentos.
    http://transrapidportugal.blogspot.com/

    By Blogger transrapidportugal, at 9:55 PM  

Post a Comment

<< Home