Think Tank Tuga

Friday, June 24, 2005

Corino de Andrade

Quem se preocupa minimamente com Medicina, devia ler a crónica desta semana do Eduardo Barroso no "DNA". É que foi das poucas pessoas a fazer justiça a um dos maiores vultos da ciência e da medicina Portuguesa dos século XX, quase no plano de um Egas Moniz ou de um António Damásio hoje em dia. Pelo menos o pessoal do curso ficou a saber quem era o Prof. Corino de Andrade, que descobriu uma doença chamada paramiloidose (doença de Andrade, internaciolmente) no 3º ano do curso, durante as aulas de genética do Prof. Bicho. Corino de Andrade era praticamente desconhecido do público Português (como a maioria das grandes elites Portuguesas que têm coisas mais importantes para fazer do que aparecer nos círculos da socialite), mas o facto de, tirando os jogadores de futebol, não darmos o devido valor às pessoas que mais verdadeiramente se destacam, que vão lá para fora (Corino de Andrade trabakhou em França, junto do Barré em pessoa; a malta da Medicina sabe que existe uma doença chamada síndroma de Guillain-Barré, é esse mesmo!) já vem de longe! Já agora, faço minhas as palavras de Eduardo Barroso: que a televisão faça rapidamente um documentário sobre a sua vida e sobre a sua obra. Portugal não foi totalmente uma pasmaceira durante a ditadura graças a pessoas como ele! Felizmente para ele, o António Damásio percebeu que se tinha de pôr a milhas daqui para um dia ser devidamente reconhecido. E vejam bem, acaba de ganhar um prémio... nas Astúrias! Se Portugal não existisse, teria de ser inventado...

Ser-se tecnosexual

Depois dos metrosexuais, parece que a última moda alimentada pelos media é ser-se tecnosexual. Ser-se tecnosexual comporta todas as vantagens do metrosexual, com a vantagem de se estar à vontade em "gagdets" tecnológicos (Palm's, portáteis, Bluetooth, telemóveis de última geração, etc...). Que virá a seguir?

Wednesday, June 22, 2005

Telemóveis low-cost

Depois das companhias aéreas low-cost, das operadoras de telecomunicações fixas (quem é que ainda não ouviu falar da Tele2? Eu uso!), e dos supermercados hard-discount (se nunca sequer ouviram falar do Minipreço ou do Lidl eu não vos perdoo), chegou a vez dos operadores de telemóveis low-cost, pela mão da UZO (que usa a rede TMN)! Isto são boas notícias para o pessoal como eu, que está a marimbar-se para a Internet, para os MMS e todas essas ferramentas sofisticadas, e que portanto não tem uma utilização para além de fazer e receber chamadas e SMS, e que quer pagar o menos possível. Mal posso esperar.

Sunday, June 19, 2005

My abstract

O meu amigo de longa data, Pedro, está de partida para Berkeley, na Califórnia, onde vai efectuar o seu doutoramento, e, esperamos nós, tornar-se mais um daqueles emigrantes de luxo que o país teima em "perder". Ele criou mesmo recentemente o seu blogue, em Inglês, com o qual ele nos brindará com as suas memórias e vivências na 2ª melhor universidade do Mundo! O blogue, pode ser encontrado aqui.

Hospital de Cascais

Estou agora a fazer um estágio de pediatria no hospital de Cascais. No outro dia, tivemos uma sessão clínica organizada (leia-se patrocinada) pela Nestlé, e fiquei muito agradado com o facto do Director de Serviço ter dito perante todos os que estavam na sala, que não queria que a Nestlé oferecesse almoços, e que em vez disso, ajudasse financeiramente os internos para estes poderem frequentarem acções de formação. "Não queremos cá almoços, só ciência" disse ele!

No entanto, mesmo com internos porreiríssimos e altamente competentes, Cascais é Cascais, e nunca vi na minha vida, tantas revistas Lux espalhadas pelos serviços, nem tantas médicas atraentes e com pinta de modelos. Todo o aluno ou interno que se preze tem de fazer um estágio em Cascais!

Wednesday, June 15, 2005

Fundação Champalimaud

Finalmente arrancou a fundação Champalimaud, dedicada à investigação biomédica, e um desejo do seu padrinho, o falecido milionário que era o homem mais rico de Portugal. Não há de facto muitos casos assim em Portugal de milionários filantrópicos da ciência, e todos os grandes cientistas Portugueses estão de acordo que isto pode ajudar a investigação biomédica Portuguesa a dar um salto qualitativo. Champalimaud colocou uma quantidade enorme de recursos (500 milhões de euros) à disposição, que lembra mais um instituto Norte-Americano. Agora, Portugal tem bem presente a lição dos fundos estruturais, em que cometeu a proeza de os saber desperdiçar como ninguém. Vejamos agora se a fundação agora encabeçada por Leonor Beleza (foi uma exigência de Champalimaud antes de morrer) trará este colosso a bom porto. O País bem precisas de coisas destas.

Tuesday, June 07, 2005

Túnel do marquês

Ontem desloquei-me à ajuda para a minha aula de salsa do costume, e não sei porquê, mas às 19h demorei uma hora e meia a percorrer os 2 km entre a Praça de Espanha e a entrada na A5. Terá sido por causa do calor? O que é certo é que até hoje, e à mesma hora, demorei sempre 5 minutos. O eixo-norte sul, então, estava impossível. Ok, é certo que há uma via cortada na rua entre a praça de espanha e a A5 (não percebi ainda porquê).
mas ontem, ficou claro para mim que a construção do túnel do Marquês é imprescindível para melhorar o acesso à auto-estrada provavelmente mais movimentada de Portugal. Quer dizer, com as obras, o acesso à A5 a partir do centro de Lisboa pelas Amoreiras é péssimo, e por isso, não ajuda nada cortarem vias na Praça de Espanha. É certo que o túnel chegou a ser embargado por falta de estudos de impacte ambiental. Mas caramba, já viram o estado em que está o Marquês de Pombal? Agora é para acabar, com ou sem estudos...

Sunday, June 05, 2005

Investigação científica em Portugal

Como a imprensa Portuguesa não o faz, eu aproveito para o fazer. Portugal não é nenhuma meca da investigação biomédica, daí haver ainda menos razões para não divulgarmos alto e em bom tom o pouco que de bom se faz por cá. Cristina Barrias, do instituto de engenharia biomédica da Universidade do Porto, foi recentemente capa da revista "Journal of Biomedical Materials Research", graças ao seu trabalho inovador sobre regeneração óssea. Se quiserem ler, vão aqui.

Cada vez mais pobres

As últimas estatísticas do Eurostat (o organismo oficial de estatística da União Europeia) apresentadas na semana passada não deixam margem para dúvidas. Estamos cada vez mais pobres. Portugal apresentou um PIB per capita (medida em paridade de poder de compra, que ajusta o PIB per capita ao custo de vida) em 2004 de 73%, o mesmo valor que apresentava em 2003. Isto não significa, no entanto, que não estejamos a divergir, pois de facto estamos. A Eslovénia, Chipre e Grécia já estão bem longe de nós, e a República Checa já nos alcançou, o que significa que ultrapassará este ano, se é que não o fez já. A Hungria também perfila-se como o país que nos ultrapassará a seguir, daqui a poucos anos.

Enfim, para contrariar estas más notícias, soube mesmo há pouco que Portugal ganhou ao Brasil em vólei (o Brasil é só o campeão do mundo e olímpico em título) para a Liga Mundial, depois de ter ganho na semana passada ao Japão, e que a Vanessa Fernandes ganhou a Taça do Mundo de triatlo, em Madrid. Já fico mais contente...

Viva Portugal

Acho que a maioria dos Portugueses já passou por momentos em que sente vergonha de viver num país como o nosso. Mas mesmo o maior dos anti-patrióticos já terá vivido momentos de indisfarçável orgulho. Ontem vivi um deles. Portugal acabara de bater a Rússia em râguebi, para o campeonato da Europa (Portugal é actualmente campeão Europeu). Então é assim, os Russos, uma equipa profissional e cheia de matulões de 2 metros, andavam frustrados com Portugal, porque há imenso tempo que não conseguem bater a equipa das quinas, que é totalmente amadora, tendo inclusive os jogadores ter de pagar para representar o país. Por isso, eles decidiram disputar o jogo em Krasnoyarsk, na Sibéria, a 15 horas de vôo de Lisboa, para assim cansar os jogadores Portugueses logo antes do jogo. Mesmo desfalcada de alguns dos melhores membros, uma vez que a equipa é totalmente amadora, e muitos são estudantes e têm exames, e outros não conseguiram meter férias do trabalho, Portugal jogou com a equipa possível, e mesmo com o cansaço acumulado e a falta de treino, deram tudo por tudo e bateram categoricamente a Rússia num estádio lotado com 30.000 pessoas em que duvido sinceramente que houvesse algum adepto tuga nas bancadas. Para mim, esta vitória vale muito mais do que uma vitória no futebol de 2-0 perante a Eslováquia. Os jogadores de futebol são frequentemente príncipes ricos e mimados, fazem birras, ganham montes de dinheiro, e mesmo com óptimas condições de trabalho, parece que Às vezes fazem um frete a representar o país. O pessoal do rugby não. Cantam o hino como gente grande e sentem um enorme orgulho por representar o país. Afinal de contas, são amadores, e representar o país nessas circunstâncias é um privilégio e não um direito. Dão tudo o que têm.
Onde eu queria chegar é que este é um bom exemplo do que é possível fazer em Portugal quando as circunstâncias e as conjunturas são adversas, e mesmo com todas as limitações, consegue-se no fim um desempenho superior a outros países que dispõem de todas condições possíveis e imaginárias. E há muitos outros desportistas, médicos, engenheiros, e profissionais de todas as áreas que à custa de muita paciência e sacrifício são capazes de trabalhar ao mais alto nível, e mostrar que no fim, apesar de tudo, ainda conseguem ser melhores do que os outros mesmo quando o atavismo Português, a mentalidade retrógrada e a falta de financiamento e de infra-estruturas não ajudam. Vivam os "Lobos", e o seu timoneiro, o Tomás Morais, que tem provado ser um autêntico Mourinho do râguebi Português. Estão de parabéns!

Friday, June 03, 2005

Em memória de LMS

A revista Sábado publicou esta semana uma reportagem pioneira sobre os 10 melhores médicos Portugueses, inspirada naquilo que se faz nos Estados Unidos, que é eleger os melhores médicos de cada Estado. É de facto uma prova de coragem publicar um artigo deste tipo em Portugal, tal será a quantidade de invejas e inimizades que isto não deve gerar, pois a eleição foi feita com base em entrevistas a 50 médicos Portugueses, tendo sido eleitos aqueles que recolheram mais votos. Destaca-se apenas uma mulher naquele grupo, a Pediatra Lourdes Levy.
Cada um dos 10 galardoados teve direito a uma reportagem individual, em que se abordou não só o seu percurso profissional, como também os hobbies e vida para além do hospital. E mais, ainda tiveram direito a mega-publicidade de borla, pois estava lá escrito o contacto dos seus consultórios, incluindo o preço da consulta!
Só tenho pena que só tenham coberto cerca de dez especialidades (deixaram de fora especialidades como nefrologia, otorrino, endocrinologia, gastroenterologia), mas sempre é melhor que nada, e por isso espero que hajam mais oportunidades no futuro para voltar a abordar este tema.
Outro aspecto curioso é que os melhores médicos do país são todos de Lisboa, Coimbra ou Porto, num aparente equilíbrio entre cidades. Os de Lisboa são quase todos de Santa Maria, o que muito me alegra, pois apesar de todos os defeitos, sempre é o meu hospital e a minha faculdade, e alguns deles, como o caso do Prof. José Ferro (Neurologia) ou do Prof. Jacinto Monteiro (Ortopedia), foram meus professores!
De qualquer maneira, é leitura recomenda!

Infelizmente, foi através desta reportagem que tomei conhecimento do falecimento do meu oftalmologista, que era o director de serviço do Hospital de Santa Maria, e que acompanhava a mim (desde os 5 anos) e aos meus pais . Tinha tido consulta com ele há uns meses. Depois de ler a reportagem, e ainda descrente, desloquei-me ao consultório dele, onde confirmei o pior...
Ele figurava na classificação dos melhores oftalmologistas do país, e era certamente o maior guru nacional em glaucoma. Que descanse em paz.